(IN) Completo



Sinto-me uma receita inacabada
Um rascunho de mim mesma
Um livro sem final
Um poeta sem inspiração!

Vejo-me como uma partitura sem notas
Um instrumento sem músico
A interrogação do final
A surpresa na resposta!

Sou parte do que está aqui
E tudo o que ainda há de vir.
Nesse instante, sou a reticência da minha própria história
Sem nenhuma intenção de se fazer entender
Ou se eternizar na memória.


Gil Façanha

Comentários

Amanda disse…
Gil,há dias que nos sentimos desse jeito,como se não fossemos aquilo que tanto acreditávamos ser,e assim ficamos frustrados,mas não devemos esquecer que as vezes é bom não ser algo e só aquilo,muitas vezes precisamos e até queremos mudar,então...
Mesmo que esteja triste alegre-se pois amanhã é um novo dia,e vc pode fazer dele o que quiser,e redescobrir-se,e então criar uma nova Gil,e depois mudar,quantas vezes quiser.
Vc pode ser o que quiser ser.
Adorei!Apesar do sentimento tristonho relatado no poema,está muito lindo.
Beijos
Poeta Insano disse…
Você tem o dom de usar as palavras
de forma a nos colocar dentro da poesia, e quase poder sentir o ser em questão.
Parabéns!
E Ficou bonito o blog.
Um abraço!

Postagens mais visitadas