Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Sem despedida


Ele se foi sem mais despedidas, sem dar o direito a um último adeus. Deixou para trás um olhar cabisbaixo e um coração destroçado pela visão da partida sem permissão. Ela nada pudera fazer para ir contra aquela decisão sem porém ou talvez. Não houve oportunidade de entendimento, apenas a visão do ser amado partindo de sua vida sem olhar pra traz. Seu maior medo naquele momento foi que com o tempo, ela não pudesse mais lembrar da expressão daquele rosto que tantas coisas já dissera... Aquela sensação era o temor do esquecimento causado pelo  último olhar negado, sem rastros para serem seguidos... Porém,   sem mais feridas.

Gil Façanha

Em busca da tranquilidade



Ela tentava se despir das emoções que há tanto a atormentava. Presa  às ilusões que a acorrentavam ás mais ardentes lembranças, acabara de descobrir que o céu oferecido houvera se transformado em inferno dominado pelas  incertezas que a atropelavam sem dó e com a piedade que a morte teria ao fim dos anos de qualquer mortal. Vivendo as margens das boas intenções ela se perdeu em seus planos e a  fumaça daquele fogo que  possuía sua pele, fez seus olhos derramarem litros de tristeza camuflada e por tantos desprezada. Talvez por ser uma tristeza desconhecida, velada. Visitando solitariamente os mesmos lugares onde aquela tristeza a levava, sentia como poderia ser uma vida moribunda, cercada de saudades... A saudade também dos tempos mais tranquilos, restando-lhe apenas a ilusão de que houvera, outrora, conhecido o real sentido da felicidade.  Doce e amarga ilusão que  acorrenta ao chão fazendo-a pisar em gelo escorregadio. As asas que sua imaginação lhe dera fizeram-na ir aos confins do mundo dos seus sentidos. Conheceu todos os limites de seus desejo e anseios, porém suas asas não a levaram a certeza alguma. Agora busca um campo aberto e florido onde possa descansar as mesmas asas já há muito desgastadas, revelando a necessidade de pousar onde o seu destemido, porém cansado coração possa tranquilamente se apaixonar.
Pobre menina moça que se auto denomina "pura emoção"... Ainda vive a buscar conter seu coração.

Gil Façanha

Quando partir é preciso


Se eu tivesse que partir para nunca mais voltar, com a certeza que tudo estaria melhor sem minha presença... Eu iria me perder na minha saudade, sofrer todas as possíveis solitárias angústias, chorar a falta dos que amo, mas ainda assim, partiria para nunca mais voltar.
Ainda estou aprendendo a lidar com minhas próprias dores, mas ainda não sei como suportar a dor dos que amo. Desejo ardentemente ser a causadora dos maiores sorrisos, das melhores memórias, estar sempre presente nas lembranças dos melhores momentos... Isso é o que ando buscando na estrada escolhida... Ser o melhor que posso ser e não fazer ninguém sofrer.

Gil Façanha

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Escolhas


O "BEM" que favorece a todos, muitas vezes depende de apena "um"... Ato... "Uma"... Escolha.
Viver em paz é a máxima da vida... Da minha vida.

Gil Façanha

Uma luz que me guia


Na galáxia dos meus sonhos, apenas eu  tenho uma nave apropriada para viajar, pulmões resistentes para respirar um oxigênio  limitado, e o sol brilha quando a janela das minhas emoções estão de cortinas abertas.
Não dá pra ver as estrelas na direção em que minha nave está... Apenas uma noite com luar. Uma luz que me guia, sem ter a menor idéia de onde vou chegar... Só sei que estou a caminho, na tentativa de acertar. Sinto ser um caminho sem volta, mas a vida é continuidade... Quero evoluir, sem nenhuma intenção de retroceder, voltar... A intenção é continuar... Continuar...
Deus é o meu guia, então não importa, sei que estou indo para o melhor lugar onde eu poderei estar.

Gil Façanha

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Meus pensamentos


As loucuras de um coração se resumem a pura falta de bom senso em ser coerente, mas faz de um ser corajoso, um louco que salta muros, cercas de arames farpados, luta contra seus próprios monstros, só pra descobrir que o amor pode machucar tanto no fim do percurso quanto no decorrer dele. Mas quem disse que a sensatez evita a dor? O amor ao menos nos recompensa com o simples prazer de vivê-lo... Mesmo que seja apenas um momento.



Quando estive a procura de mim mesma, em um ponto da minha solitária viagem, no exato momento em que tropecei em um pedaço caído ao chão, parte de mim que eu nem sabia que existia, descobri que ao mesmo tempo em que não sou tudo o que pensava, também posso ser muito mais do que imaginava.




Acabo de resgatar o que parecia estar para sempre perdido. O mais estranho é que quando desisti de procurar... Alí estava o que fiquei tanto tempo a desejar.



“A verdade não se esconde, se percebe”... Mas qual? A minha verdade exposta ou as outras verdades ocultas?


Surprise, Surprise... O tempo nos engana mas também nos revela. Esse tempo que tanto falo... Inimigo, aliado. Ele me leva pra todos os lados e brinca de se revelar a qualquer momento ou em qualquer lugar que eu possa estar. Estou vivendo de pelo tempo me emocionar.



Sabedoria que vivo a buscar, sabedoria que preciso ter, sabedoria que me aponta, me acusa... Venha comigo, não fique pelo caminho. Estou disposta a viver de você... Guia-me, cole em mim, antes que eu decida me teleportar para onde você não vai estar.





Gil Façanha




sábado, 20 de fevereiro de 2010

Rifa-se um coração



Escritora: Clarice Lispector

"Rifa-se um coração quase novo... Um coração idealista... Um coração como poucos... Um coração à moda antiga, que insiste em pregar peças no seu usuário. 
Rifa-se um coração que, na realidade, está um pouco usado, meio calejado, muito machucado e que teima em alimentar sonhos e cultivar ilusões. Um pouco inconseqüente, que nunca desiste de acreditar nas pessoas. Um leviano e precipitado coração, que acha que Tim Maia estava certo quando escreveu: “Não quero dinheiro eu quero amor sincero é isso que eu quero” Um idealista... um verdadeiro sonhador... 
Rifa-se um coração que nunca aprende... que não endurece e mantém sempre viva a esperança de ser feliz sendo simples e natural. Um coração insensato, que comanda o racional sendo louco o suficiente para se apaixonar. Um furioso suicida que vive procurando relações e emoções verdadeiras. 
Rifa-se um coração que insiste em cometer sempre os mesmos erros... esse coração que erra, briga, se expõe perde o juízo por completo em nome de causas e paixões. Sai do sério e, ás vezes, revê suas posições arrependido de palavras e gestos. Este coração tantas vezes incompreendido, tantas vezes provocado... tantas vezes impulsivo. 
Rifa-se este desequilibrado emocional que abre sorrisos tão largos, que quase dá para engolir as orelhas, mas que também arranca lágrimas e faz murchar o rosto... Um coração para ser alugado ou mesmo utilizado por quem gosta de emoções fortes. Um coração abastado, indicado apenas para quem quer viver intensamente e contra indicado para os que apenas pretendem passar pela vida matando o tempo, defendendo-se das emoções. 
Rifa-se um coração tão inocente que se mostra sem armaduras e deixa louco o seu usuário. Um coração que quando parar de bater ouvirá seu usuário dizer na hora da prestação de contas: “O senhor pode conferir eu fiz tudo certo, só errei quando coloquei sentimento, fiz bobagens quando ouvi este louco coração de criança que insiste em não amadurecer e se recusa a envelhecer”. 
Rifa-se um coração ou troca-se por outro, que tenha um pouco mais de juízo... um órgão mais fiel ao seu usuário... um amigo do peito que não maltrata tanto o ser que o abriga. Um coração que não seja tão inconseqüente.
 Rifa-se um coração cego, surdo e mudo, mas que incomoda um bocado... um verdadeiro caçador de aventuras, que ainda não foi adotado, provavelmente por se recusar a cultivar ares selvagens ou racionais, por não querer perder o estilo. Oferece-se um coração vadio, sem graça, sem pedigree... um simples coração humano, um impulsivo membro de comportamento até meio ultrapassado, um modelo cheio de defeitos que, mesmo estando fora do mercado, faz questão de não se modernizar, mas, vez por outra, constrange o corpo que o domina. Um velho coração que convence seu usuário a publicar seus segredos e a ter a petulância de se aventurar como poeta".


--------------------------XXXX-------------------------
Eu publiquei esse maravilhoso poema de Clarice, por que mesmo se eu tentasse, não conseguiria um RX tão perfeito do que é o meu próprio coração.



Gil Façanha

I wanna know what love is - Mariah Carey




Composição: Mike Jones


I gotta take a little time
A little time to think things over
I better read between the lines
In case I need it when I'm colder
In my life
There's been heartache and pain
I don't know
If I can face it again
Can't stop now
I've traveled so far
To change this lonely life


I wanna know what love is
I want you to show me
I wanna feel what love is
I know you can show me
Gonna take a little time(take a litlle time)
A little time to look around me (ooh)
I've got nowhere left to hide (nowhere left to hide)
It looks like love's finally found me (oooh)


In my life
There's been heartache and pain
I don't know
If I can face it again
Can't stop now
I've traveled so far
To change this lonely life


I wanna know what love is (Ooooh-oh)
I want you to show me (Meeeeee-ee)
I wanna feel what love is (Feel what love is)
And I know you can show me (Show me, I wanna know)


I wanna know what love is (I wanna know)
I want you to show me (And I feel you so much love)
I wanna feel what love is
And I know you can show me
Oh, let's talk about love

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Sentimentos


Não dá pra ver, descrever qual há de mais intenso, esquecer (posto que esteja em mim), separá-los do meu corpo, desviá-los sem riscos de acabar represando... Conseqüentemente, a qualquer momento... Transbordando.
Estou falando de sentimentos como o amor. O amor que se conquista, ou o amor que te pega de surpresa. Estou falando da dor. A dor que deixa marcas, que te deixa igual gato escaldado, que faz temer o próximo passo, que é professora das futuras decisões.
Estou falando da saudade doida... Que nem o tempo consegue apagar. Tempo que te ensina que muitas coisas não se podem mudar, mas que podem ser aprendidas, sentidas sem que te façam chorar. Estou falando da verdade que se esconde no olhar, no sorriso, mas que vem a tona quanto o sentimento é real. Estou falando da força de superar a sensação de um sentimento fracassado, facilmente substituído, esquecido... Estou falando da coragem de seguir em frente, da dificuldade em continuar... Olhando pra trás... Desejando o que ainda não veio... Apenas caminhando.
Os sentimentos estão aqui, dentro de mim... E se não posso superá-los, ao menos aprenderei a caminhar com eles. Sempre em busca daquela tão perseguida sensação de FELICIDADE. Em alguma estrada da vida ela me encontrará... Pra nunca mais me deixar.
Gil Façanha



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

A musica em minha vida


A música que é inesquecível.
O poder de algumas canções.
A música que marcam histórias de amor... A música que marca a dor.
A música que cria um clima de sedução... A música que destrói um coração
A música que emociona ou faz dançar...A música que te faz parar... Pensar
A música que é uma estranha coincidência... A música que revela um momento
A música que fala por mim, que grita minhas emoções, que através da qual espero poder me revelar quando não posso falar... Apenas cantar.
A música que  pra mim é vida... Simplesmente... Please... Don't stop the music.


Gil Façanha

As pedras do caminho



Seria possível simplesmente esquecer dos grandes sentimentos?
Já parou pra contar as pedras do caminho?
O que andou acontecendo no percurso?
Quantas vezes você  deixou aquele alguém chorando sozinho?
Alguma vez você o esnobou?
Quantas vezes o deixou pelo caminho enquanto que pra você, a estrada apenas continuou?
Você lutou por ele? Quantas vezes disse não, seja lá qual for sua razão?
Até por que as razões são suas, não se pode advinhar se você mesmo não falar.
Quantas o fez se sentir único... Quanta vezes, o fez se sentir apenas mais um?
Repense seu trajeto. Ao menos suponha tudo o que se passou.
Um grande amor não acaba pura e simplesmente... Um grande amor se mata.
Cuide bem do seu. 


Gil Façanha.

Amar você


Autora: Shes 

Amar você é algo inexplicavelmente maravilhoso!!
Homem maduro, menino dengoso, garoto maroto, que me encanta, que me faz sonhar e delirar. Ter você, sentir você, amar você!! Ai, ai...é demais!!
Encantada, apaixonada, louca de amor...os adjetivos  são tantos para designar esse sentimento que não há explicação.
Hoje me peguei imaginando seu corpo no meu , sentindo cada pedacinho dele em mim, sentindo o gosto gostoso da sua boca, sua língua invadindo a minha minúscula boca. Suas mãos percorrendo meu corpo intensamente, numa mistura de prazer e ânsia. Ânsia por senti-lo em mim, por sentir cada prazer, cada estouro de emoção. Seus lábios entre os meus lábios mais carnudos, me fazem delirar, me fazem sentir algo que jamais senti antes, jamais igual.
Ao ter uma imensa explosão de sentimentos, sentir seus braços me abraçando, ocupando nós o mesmo espaço numa contínua fricção, vem mais outra explosão que me faz passar para outra atmosfera, que talvez seja o céu... Não quero mais parar, quero mais e mais, quero morrer ou viver sentindo o céu.
Conto os dias, conto as horas e os minutos em que vou cair em seus braços novamente!!Preciso aproveitar cada segundo ao seu lado, pois o momento é esse, o tempo é agora!!Não se pode confiar no destino!! Por isso não me canso de querer você, não me canso de sonhar com você, não me canso de sentir você...


Hotel California




On a dark desert highway, cool wind in my hair
Warm smell of colitas, rising up through the air
Up ahead in the distance, I saw a shimmering light
My head grew heavy and my sight grew dim
I had to stop for the night
There she stood in the doorway
I heard the mission bell
And I was thinking to myself
This could be Heaven or this could be Hell
Then she lit up a candle and she showed me the way
There were voices down the corridor
I thought I heard them say
Welcome to the Hotel California
Such a lovely place (2x)
Such a lovely face
Plenty of room at the Hotel California
Any time of year (2x)
You can find us here
Her mind is Tiffany-twisted, she got the Mercedes-Benz
She got a lot of pretty, pretty boys, that she calls friends
How they dance in the courtyard, sweet summer sweat
Some dance to remember, some dance to forget
So I called up the Captain
Please bring me my wine
He said, we haven't had that spirit here since nineteen sixty-nine
And still those voices are calling from far away
Wake you up in the middle of the night
Just to hear them say
Welcome to the Hotel California
Such a lovely place (2x)
Such a lovely face
We're livin' it up at the Hotel California
What a nice surprise (2x)
Bring your alibis
Mirrors on the ceiling
The pink champagne on ice
And she said, we are all just prisoners here, of our own device
And in the master's chambers
They gathered for the feast
The stab it with their steely knives
But they just can't kill the beast
Last thing I remember, I was
Running for the door
I had to find the passage back
To the place I was before
Relax, said the night man
We are programmed to receive
You can check out any time you like
But you can never leave

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Um sonho indecente


Na busca desenfreada pelo equilíbrio dos meus desejos, me perco em teu olhar indecente e falsamente saciado pela minha retribuição.
Tem algo que me afronta me desafia e ao mesmo tempo me amedronta. Um fogo disfarçado, algumas vezes desinteressado, pra me iludir e me fazer crer em tua inocência.
Te provoco sem pudor e de repente me tomas a força e padeço de um torturante prazer que me deixam marcas, que me enlouquece. Penso em reagir, pedir por socorro, mas o que consigo fazer é sucumbir a tamanha loucura. Esse lugar é próprio pra torturar.
Surpreendentemente, me vejo gritar de prazer.... Um grito alto, que dispensa e esquece qualquer suave gemido, nem grave e nem agudo, revelador... o suficiente pra me despertar de um sonho quente, louco... Mas bem que poderia ter sido real... rsrsr.

Gil Façanha

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O vendedor de sonhos


(Augusto cury ,O vendedor de sonhos)

Sou apenas um caminhante
Que perdeu o medo de se perder
Estou seguro de que sou imperfeito
Podem me chamar de louco
Podem zombar das minhas ideias
NAO IMPORTA !
O que importa eh que sou um caminhante
Que vende sonhos para os passantes
Nao tenho bussula nem agenda
Nao tenho nada ,mas tenho tudo
Sou apenas um caminhante
A proucura de mim mesmo


Search box

Related Posts with Thumbnails