Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

sexta-feira, 30 de abril de 2010







Deus nunca disse que a vida seria fácil.
Ele simplesmente prometeu que valeria a pena.
Autor desconhecido.

Sento-me no final... Ou no início, quem sabe! Observo tudo e todos. Uma característica minha... Ou nossa... Dos curiosos, dos naturais estudiosos do comportamento humano. Muito barulho no momento, mas dentro de mim, um silêncio enorme. Muita gente a minha volta, mas só me lembro de uma pessoa em especial. Alguém que a uma hora atrás me disse poucas, mas tão sábias e ao mesmo tempo, dolorosas palavras. Uma frase se repete... Uma frase pronunciada pela mais querida das  minha professoras. Olhando essas pessoas por um ângulo que elas nem imaginam, tantas coisas fazem tanto sentido! Ou talvez estejam perdendo o sentido que pareciam ter antes.
Hoje nessa mesa de bar, não sou mais que uma observadora da sobrevivência humana. Enquanto todos brincam, riem, bebem, eu deito meus sentidos e alguns sentimentos, em um simples pedaço de papel (não quero esquecer de falar sobre isso). Sinto-me tomada por uma emoção que não defino agora, mas me preenche de certa forma, dolorosamente.
As pessoas se agarram mesmo ao que elas DECIDEM acreditar! Somos uma droga de um bando de almas perdidas que acham que podem se encontrar em coisas ou pessoas que precisamos crer que são o que achamos que deveriam ser. A vida é tão simples, tão mágica, tão curta, tão cheia tudo, ou de nada (dependendo do que fazemos dela). Não sei se me sinto deprimir um pouco ou se estou apenas um tanto abalada. Não! Acho que pela primeira vez na vida, me sinto deprimir de verdade. A melodia das minhas músicas preferidas faz meu fundo musical nesse momento lotadamente solitário. Quem aqui sabe o que é viver? As vezes penso que ninguém sabe de verdade o que é isso. Ou talvez eu esteja apenas procurando uma definição, uma razão que não existe. Já que a vida é o que cada um decide fazer dela. Queria tanto conseguir reconhecer todos os motivos que tenho pra sorrir agora, mas no momento eles não me bastam. Estou longe daqui. Que boa droga me parece a vida nesse instante... Mas uma droga curta demais pra ter tempo de viciar. Derrepente ela acaba e tudo se vai. Mas segundo minha querida professora, temos que ser felizes até nas adversidades. Ela complementou isso dizendo:

“Se agente não brincar com a vida... Ela é quem brinca com agente”.

Frase dita após ela dividir conosco um diagnóstico positivo para dois tipos de câncer.

Você sabe o que são lágrimas internas? Estou sufocando com elas. Não defino nada. Só consigo sentir uma angustia tão forte que me esmaga o peito. Um nó na garganta que nada combina com a paisagem que presencio agora. Receio perder as forças e simplesmente chorar. Mas entenda, não é apenas pelo diagnóstico...  Isso me trouxe tantas outras coisas a mente. É uma mistura de tristeza em ver alguém tão querida passar por isso, é uma sensação de medo... Medo de estar deixando a vida passar. Medo de que em um súbito momento, eu não tenha tempo pra mais nada. Medo de me perder em tantos conceitos. Medo de me limitar demais. Medo de perder minhas maiores ligações com esse mundo (minha família), de ficar só... Sozinha com tanta gente que me olha e não me vê. Sobreviver não é fácil. E nem sei se dá aprender. 

Gil Façanha

sábado, 24 de abril de 2010

O que eu sou?!


Eu sou tantas coisas que não se vê no meu rosto ou mesmo no olhar!
Eu sou tanto, tudo o que se vê no gesto, e o que estou a procurar.

Eu sou uma vez só, sou quantas vezes precisar...
Eu sou a urgência de saber, a pressa de acontecer, a correria em minha busca, o receio de não alcançar.

Eu sou a transparência em pessoa, que ninguém pode ver...
Sou chuva torrencial, sou calmaria total, sou água de beber.

Eu sou cura, sou fatal, sou apenas um gole, a ressaca do dia seguinte ...
Eu sou a vontade de parar, a loucura por continuar, o falar pra nenhum ouvinte.

Eu sou o ímpeto, a decisão, a inconstância ...
Eu sou a coragem pra arriscar, o medo de errar, o pedir perdão e até a intolerância..

Eu sou fome, sou toda a saciedade...
Eu sou o amor perdido ou encontrado, a felicidade, eu sou poucas mentiras e tantas verdades.

Eu sou o medo do fogo, sou a própria fumaça que se esvai de mim...
sou intensidade desmedida, sou a medida pra não se perder, sou não, sou sim.

Eu sou fé, reza braba e as vezes fraca, sou a ilusão de tudo poder...
Em resumo, saiba que não é fácil entender minha vontade de simplesmente SER.


Gil Façanha

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Voando Baixo



Me curvo diante da sabedoria da naturza!
Deitada na areia da praia, sentindo um vento forte e ouvindo a melodia das ondas do mar, pude ver uma pequena borboleta voando tão baixo, que quase tocava o chão.
Levando em conta a força do vento naquele momento, entendi o porquê de uma criatura alada se limitar a tão pouco, se a possibilidade é o céu.

Quando a ventania tiver o poder de quebrar suas asas, te tirando para sempre, a possibilidade de voar... Voe baixo, respeite seus limites. Não seja arrogante ou imprudente. Não vá onde suas asas não terão forças para trazê-lo de volta a salvo.
Voe baixo... Mas voe sempre... Sempre na expectativa de ventos melhores, onde suas asas possam, não apenas levá-lo, mas mantê-lo lá... Quando achar o lugar.
Não há ventania que dure para sempre. Os ventos sempre mudam.
 Gil Façanha

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Reflection

Christina Aguilera

Look at me,
You may think you see
Who i really am
But you'll never know me
Everyday
It's as if i play a part
Now i see if i wear a mask
I can fool the world
But i cannot fool my heart
Who, is that girl i see
Starring straight
Back at me
When will my reflection show
Who i am, inside
I am now
In a world where i have to hide my heart
And what i believe in
But some how
I will show the world, what's inside my heart
And be loved for who i am
Who, is that girl i see
Starring straight
Back at me
Why is my reflection someone
I don't know
Must i pretend that i'm
Someone else
For all time
When will my reflection show
Who i am
Inside
There's a heart that must be free
To fly
That burns
With the need to know
The reason why
Why must we all conseal
What we think
How we feel
Must there be a secret me
I'm forced to hide
I won't pretend that i'm
Someone else for all time
When will my reflection show
Who i am inside
When will my reflection show
Who i am, inside
Ohhh, yeah, yeah, mmmm

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Um barco no horizonte... Cais solitário


Sei que pelos mares por onde vais navegar, não terei notícias suas, nem mesmo serei o vento que irá soprar as velas da tua embarcação. Ficarei no meu cais, olhando a âncora que um dia te manteve aqui e lembrarei sempre dos bons momentos. Não negarei que em algumas tardes de pôr-do-sol eu ainda irei até a praia e olharei o horizonte, na esperança de que os ventos mudem, que a correnteza se altere e traga o teu barco de volta ao mais seguro cais que a vida te ancorou. Não poderia impedir tua partida, pois não seria eu, jamais, a âncora que lhe tiraria o prazer de sentir o vento em suas velas e o gosto de ser livre pra ir e vir. Mas, estarei sempre aqui, a lembrar do quanto nos completamos, a desejar que minha alma gêmea, possa um dia, sentir o prazer de ser livre em meus braços para aí então, descobrir que navegar é bom, mas navegar juntos é ainda melhor.
Só não posso negar, que ao olhar a curva da terra, de tempos em tempos, tentarei imaginar quantas voltas ela ainda dará.
Navegue barco de minha alma... Ficarei bem. Daqui, posso sentir o mesmo vento que te leva. Podes ir, sinta o frio do alto mar, o calor das praias. Ancore quando precisar, ame se conseguir amar. Mas não esqueça que passe o tempo que passar, meu cais estará no mesmo lugar... Sonhando com o dia, que tua embarcação volte pra ficar, e assim eu possa te mostrar como eu já sei te amar.
Gil Façanha





quinta-feira, 15 de abril de 2010

Abstinência da tua química


Quanto tempo seria justo que um ser dependente como eu suportasse a falta que tua química me faz? Essa química que encontro em teu corpo, não existe em qualquer esquina. Não há fornecedores por aí. Tento não sucumbir, não ir à busca do que já me viciou. Prendo-me em imagináveis camisas de força pra não buscar o teu amor.
Minha genética me traiu! No primeiro consumo, meus genes mostraram o porquê de eu precisar evitar o primeiro contato. Mas eu não acreditava no poder da hereditariedade. Arrisquei, consumi, fiz a mais louca viagem que meu corpo já provou. Foi fácil perceber que virou vício! Já no dia seguinte, minha pele tremia devido a necessidade tua. Te busquei... Só mais uma vez... Só dessa vez... Prometi que não desejaria mais, que seria forte, que não me entregaria a essa alucinante viagem. Mas é isso que todos dizem.
 E agora? O que faço pra não permitir que esse vicio me domine? Não há como me convencer que meu corpo não precisa mais das viagens que a tua química me proporciona. O Que faço pra não me perder?
Na realidade, preciso descobrir como voltar a ser eu... Antes, de quem sabe um dia, ser totalmente EU e VOCÊ.
Gil Façanha

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Flores pra você


Quer flores?
Tenho flores pra quem se gosta.
 Flores pra mostrar o meu carinho.
Flores pra mostrar o meu desejo.
 Flores pra revelar o que os teus olhos ainda não testemunharam, mas já sentiu teus beijos.
Então, tenho flores pra você! Mas tenho uma condição... Arranque cada pétala sem usar a mão.
E usando o preto que me cai tão bem, incontida de tanto tesão...Vou expor minha intimidade  e com o teu corpo no meu, iremos além de qualquer razão.

Gil Façanha

domingo, 11 de abril de 2010



As vezes, quando pareço querer fugir daquela “luz” no fim do túnel...
Algo acontece, e acordo com o sol no meu rosto.

Gil Façanha

Suave entrega


Apenas por um momento, me deixe esquecer que sou mulher... Permita-me deixar livre uma simples  garota que trago em mim e te mostrar que tudo o que ela precisa é se sentir querida em teus braços. Deixe-me por um momento, congelar aquele vulcão que as vezes ameaça me consumir, e te amar ao som das nossas mais românticas canções... Te sentindo com calma, curtinho cada movimento, olhando nos olhos, sentindo cada gota de suor que sai do teu corpo e escorre pelo meu.  Deixe-me apenas permanecer em teu abraço, só pra que eu acredite que me tornei importante pra você.  Me ame sem pressa... Olhe-me com carinho... Trate-me com cuidado... E então vou te revelar um lado doce, carinhoso, que sabe amar com uma entrega suave... A entrega que só o amor permite acontecer. Deixe-me mostrar que além de fogo, posso ser mais do que eu deixo transparecer.
Gil Façanha

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Espero a minha vez - NX Zero


Se o medo e a cobrança
Tiram minha esperança
Tento me lembrar
De tudo que vivi
E o que tem por dentro
Ninguém pode roubar


Descanso agora, pois os dias ruins
Todo mundo tem, já jurei pra mim
Não desanimar e não ter mais pressa
Pois sei que o mundo vai girar, o mundo vai girar
E eu espero a minha vez


O suor e o cansaço
Fazem parte dos meus passos
O que nunca esqueci
É de onde vim,
E o que tem por dentro
Ninguém pode roubar.


Descanso agora, pois os dias ruins
Todo mundo tem, Já jurei pra mim
Não desanimar, e não ter mais pressa
Eu sei que o mundo vai girar, o mundo vai girar
E eu espero a minha vez

E eu não to aqui pra dizer o que é certo e errado,

Ninguém tá aqui pra viver em vão.
Então é bom valer a pena,
Então é pra valer a pena, ou melhor não.


Os dias ruins todo mundo tem
Já jurei pra mim
Não desanimar e não ter mais pressa
Pois sei que o mundo vai girar, o mundo vai girar
E eu espero a minha vez...

quarta-feira, 7 de abril de 2010


Algumas peças em conserto... Assim está a máquina das minhas emoções. Falta adequar alguns encaixes, rever algumas engrenagens, programar o GPS... E partir. Não sei se ainda há jeito. Essa máquina já está muito marcada pelo tempo. Alguns pontos de ferrugem, por falta de uso... Peças apresentando alguns arranhões... Não é fácil cair na estrada. Já apresenta um barulho estranho na partida... Creio que seja algum tipo de desgaste. Só posso garantir que cuidei da lubrificação! As constante emoções vividas no caminho, garantiram  lubrificante da melhor qualidade... Do tipo que tem efeito prolongado. Não estou colocando à venda, nem pretendo emprestar essa máquina que apesar de me dar tanto trabalho para mantê-la, não sobrevivo sem ela. Na verdade, estou tentando cuidar melhor dela. Ainda não sei muito bem qual o tratamento que devo dispensar, mas sei que será preciso dedicação. Acho que o que lhe falta mesmo, é alguns litros de paixão, jogar fora qualquer solidão, dar uma boa dose de valor, dispensar tudo que cause dor, selar com algumas gotas de decisão, e ter cuidado pra não entregá-la em qualquer mão.  Quando ela estiver melhor, em seu perfeito estado, acredito que posso colocá-la na estrada novamente. Mas irei precisar de uma boa quantidade do melhor combustível. Um pouco de vento fará bem à suas peças. Talvez assim, ela consiga lembrar do que é estar a caminho do horizonte, e aí então, poderá finalmente decidir em qual ponto da vida será por bem parar, descansar... E novamente se entregar. 

Gil Façanha




terça-feira, 6 de abril de 2010

Querido diário...



...Hoje acordei com saco cheio de tudo!!! É um daqueles dias perfeitos pra sumir no mundo... Mergulhar por 24h pensando que dá pra falar com peixe...rsrs... Se jogar de um paredão enooorme... Com paraquedas, é claro, mas sem saber pra onde o vento vai me levar.
Vontade real de sumir. Nada me agrada... Tudo o que faço, parece que o faço da pior maneira possível. Olho o orkut dos amigos e vejo um monte de besteiras, que normalmente até me divertem... Mas hoje... É uma bela porcaria.
Tenho vontade de desfazer tudo o que fiz nos últimos dias... Mas também queria fazer algo novo, e como não sei o quê... Deixo tudo do jeito que está.
Ando me cobrando tanto!!
“Faça as coisas certas”... “Cuidado pra não magoar ninguém”... “Não se deixe levar por coisas demais”... “Tema os castigos”... “Tema o futuro”... “Cuidado”... “Cuidado”... “Se esforce mais”... “Estude mais”... “Trabalhe mais”... “Dedique-se mais”....aaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Que saco! Não quero me preocupar com nada, com ninguém. Quero parar de esperar tanto de mim mesma. Sou uma pessoa normal!! Pode não parecer as vezes... Mas sou. Quero errar, e não me culpe se eu não tenho a menor vontade de pagar por isso. Quero escrever bobagens (como agora), sem ter receio. Quero ficar só, só um pouco. Quero me sentir livre... Só um muito... Quero apenas ser EU... SÓ HOJE!! ... Por que amanha, provavelmente isso já passou.

Gil Façanha

Abatida... Por hora.


Algumas pessoas me fazem sentir algo que me desagrada! Não sei se saberia explicar... Ou talvez saiba, e apenas não queira. Pra mim é difícil admitir quando alguém me incomoda, pelas razões que me incomoda. Insegurança feminina é algo chato de sentir. A inveja, por qualquer razão, é difícil de lidar. É como se achar inferior em algum aspecto, mesmo sabendo que cada um tem suas qualidades. É como se sentir pequeno diante de uma grandeza, as vezes relativa, por razões banais. 
Ultimamente tenho provado de alguns sentimentos que julgo negativos. Mas com isso, também tenho evoluído. Tenho aprendido a aceitar o que não posso mudar, e procurado coragem pra mudar o que posso. A vida anda me forçando a amadurecer de tal forma, que a cada superação, me sinto ganhar algumas medidas de inteligência emocional, de controle da minha impulsividade, da aceitação de que algumas realidades podem ser apenas... Digeridas, absorvidas e emocionalmente superadas.
Há certas angustias que machucam a alma e ameaçam te deprimir. Especialmente se a visão do que parece real, está só em você. Mas a superação dessa sensação, me faz respirar mais tranquila e a me sentir menos incomodada, é obvio. 
Sou o que sou e gosto disso! Existem pessoas melhores e piores do que eu, mas igual... Não há! Cada um é único na sua essência. Gostando ou não, há coisas que nunca alcançarei, qualidades que nunca terei, defeitos que talvez nunca superarei. Isso é ser humano... Isso é ser EU... VOCÊ... Isso é apenas... SER!
Se ninguém conseguir reconhecer suas qualidades, respeitar sua individualidade, então ao menos, seja você a reconhecê-las. 
Como diz a música: "Os outros, são os outros... E só!"

Gil Façanha

sábado, 3 de abril de 2010

Uma balada quase solitária


Dançando em meio a um aglomerado de loucos seres humanos que saem a noite em busca de prazer, encontro em meu solitário momento, o prazer em me perder. Me solto sob a batida que parece pulsar em meu coração e envolvida em luz neon que ofuscam minha visão, me entrego ao som das baladas que não me dizem nada, apenas me impulsionam a mexer o quadril de forma convidativa e pretensiosa. Pareço querer algo... Mas não desejo nada além de sentir por um simples momento, que não há ninguém além de mim mesma a se perder no ritmo cadenciado de uma balada solitária... Mesmo tendo tanta gente em volta. Fecho os olhos e mergulho no meu mundo... Esqueço que não estou só. Não me preocupo em parecer estranha, pois se assim parecer... Assim sou eu nesse momento único, onde desapareço em um mundo só meu... Só eu e Deus. As vezes é bom se entregar do seu jeito a um momento simples, como se não houvesse questionamentos ou ninguém pra interromper.
Gil Façaha

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Russian Roulette - Rihanna



Esse clip me deixou completamente arrepiada com a batida, com a emoção e a  interpretação de Rihanna.


Take a breath, take it deep
Calm yourself, he says to me
If you play, you play for keeps
Take a gun, and count to three
I'm sweating now, moving slow
No time to think, my turn to go
And you can see my heart beating
You can see it through my chest
And I'm terrified but I'm not leaving
I Know that I must pass this test
So just pull the trigger
Say a prayer to yourself
He says close your eyes
Sometimes it helps
And then I get a scary thought
That he's here mean he's never lost
And you can see my heart beating
You can see it through my chest
And I'm terrified but I'm not leaving
I Know that I must pass this test
So just pull the trigger
As my life flashes before my eyes
I'm wondering will I ever see another sunrise?
So many won't get the chance to say goodbye
But it's too late too pick up the value of my life
And you can see my heart beating
You can see it through my chest
And I'm terrified but I'm not leaving
I know that I must pass this test
And you can see my heart beating
You can see it through my chest
And I'm terrified but I'm not leaving
I know that I must pass this test
So just pull the trigger

Meu eu


Compreendo as expectativas, toda a imagem que criei e por tanto tempo sustentei. Sou isso que vocês estão vendo... Sou tudo o que ainda não podem ver... Sou muito além do que aparento mas, poucos podem perceber.
Talvez não queiram saber quem eu sou de verdade, ou talvez minha verdade seja demais pra se dizer. Busco alguns sonhos que não compreenderiam, luto de um jeito que eu nem saberia escrever. 
Acredito no futuro de muitas das minhas expectativas e desisti de questionar os meios pra isso acontecer... Vou encontrar o que procuro no dia em que tiver que ser.
Paciência não é uma das minhas virtudes, mas na vida tudo pode se aprender, e se é paciência que eu preciso pra tudo acontecer de um jeito certo... Então é paciência que eu vou ter. Mesmo que nem sempre seja fácil resistir e sobreviver.

Gil Façanha.

Search box

Related Posts with Thumbnails