Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Descobrindo emoções



As vezes, tudo o que precisamos é nos permitir um pouco mais. Acreditar no que normalmente, qualquer um duvidaria.
O teu olhar tem estado diferente ou sou eu que estou mais sensível á você?
Tua declaração recente foi mais que meras palavras recheadas de emoção... Foi a algo quase palpável que fluía dos teus lábios, iluminando o ambiente com a delicadeza esquecida do teu olhar.
Há tempos eu não te via assim! Olhar de admiração, com tanto brilho e tanto encanto que faria qualquer mulher sentir-se a única capaz de te causar isso.
Ouvir tudo o que foi dito, me fez perceber que na realidade eu nunca estive só. Mas eu não sabia que você realmente me via!
Tua descrição perfeita do que calo em mim, arrancou um silêncio velado em meu peito. Me fez chorar por dentro.
Meu corpo irradiou emoção! E foi incrível perceber em teus braços que eu nunca te perdi. Você estava lá não era? O tempo todo esperando que eu me encaixasse em mim novamente.
Tenho a sensação que você abraçou meu coração por dentro! Derrepente me senti tão tola, tão cega... Mas ao mesmo tempo, encaixando-me no meu próprio quebra cabeças. Muitas coisas foram entendidas.
Eu não entendia que não se pode recuperar o tempo perdido, ou sentir as mesmas emoções vividas em outro tempo, em outra maturidade ou percepção. Antigas procuras perdidas. Mas podemos escrever uma nova história, conquistar o que apenas agora foi visto em cada um de nós e valorizar o que há tempo foi conquistado.
Não se pode reverter feridas antigas, mas pode-se tratá-las, ou até esquecê-las se cuidarmos bem delas. Aprendi que uma nova vida, com uma nova emoção, pode ser construída.
É incrível como você me percebe e eu nem sabia! E esse amor cheio de percepções do meu eu... É novo. Me encanta.
Seja bem vindo ao meu mundo! Abro-te as portas, portões, janelas... Destruo qualquer possível resistência a tua entrada.
Vem... Desvenda-me, toca-me por dentro. Estou a inteira disposição para tua alma, teu corpo, teu coração.
Vem... Deixa-me revelar o que até hoje ocultei. 

Para Paulo


Gil Façanha

Ao meu amor



Não há mais angústias em meu sentir... Sinto-me leve
Não há mais medo de não haver entrega... Sou tua
Não há mais ausência da minha pele sedenta em teus lábios.
Nosso prazer se reconcilia com nossas intenções.
Fecho os olhos e vejo você... Te sinto, e me preencho de novas emoções.

Para Paulo.



Gil Façanha

A totalidade do amor // Entre nós dois (dueto)


O amor brilha // Ofusca minha indecisão
Como as estrelas // Ocupam o céu do meu coração
É uma canção com versos // é uma melodia que encanta
Sincronizados na poesia // Bailando com sincronia
Emocionada com a felicidade... // Sentindo-me feliz de verdade


O amor é a luz que nos guia // É a força que nos traz energia
Pelo afeto de dois sonhos // Pelos sonhos dos afetos
Que vivem no mesmo sonho // Que só querem estar perto
Buscando o afeto de uma noite... // É em todas as noite ser teu afeto.


O amor é a abertura // É o acesso ao paraíso, é um olhar com candura
Do portal dos corações apaixonados // É cair em teus braços, adormecer ao teu lado
Que se envolvem com o compromisso // É tentar nunca esquecer disso
De cultivar a felicidade e viver // É nunca mais te perder, é me entregar pra valer
Uma eternidade de sonhos... // É até sonhando, te pertencer.


O amor tem o poder da conquista // Onde a paixão vem se aliar
Ele é pleno e forte // E tem fogo pra queimar
Como dois corações apaixonados, // Enlouquecendo de prazer
Tem a força de um vulcão // Você em mim, e eu em você
E a simplicidade de uma orquídea... // Toda a beleza desse tamanho querer.




Rogério Miranda & Gil Façanha



terça-feira, 28 de setembro de 2010

O amor e a paixão (diálogo)


Amor: Quem és tu, que se atreve a me desafiar, sem saber onde vou parar se insistires em me derrotar?

Paixão: Eu sou o princípio do teu começo, ou o fim do que podes ser. Depende de tuas raízes, ou do que fazem de você.

Amor: Como ousas vir com todo esse calor, deturpando o significado do amor, levando ao coração a dor?

Paixão: Não cheguei com essa intenção. Sofrer, não está em minhas mãos. Vim apenas oferecer o sabor que tem a paixão.

Amor: Vá ao encontro de quem está só, do meu coração tenha dó... Ou esse amor pode virar pó.

Paixão: Vim apenas pra te aquecer, esse coração nunca vai esquecer os prazeres que lhe pude conceder.

Amor: Se vieres pra ficar, desse cantinho eu partirei. O amor só governa uma alma, onde antes a paixão já foi rei.

Paixão: Não quero um embate, ou luta sentimental. Se por acaso você for o tal... Não se preocupe... Minha visita será banal.

Amor: Uma grande paixão, nunca parte sem deixar marcas. O amor, por ti também já foi ferido. Quando carentes estão os corações, é em teus braços que eles encontram abrigo.

Paixão: Então chegamos a uma conclusão! Se fores amor de corpo e alma, nenhuma paixão alcançará teu coração.

Amor: Mas se fores paixão de pele e fogo, daquelas que os amantes não conseguem esquecer... Ainda que eu seja o amor... Eles sempre lembrarão de você.

Paixão:  Então... Por amor partirei

Amor: E a força da paixão... Nunca esquecerei.

Gil Façanha

O tocar e o tocável

O tocar, é o que sinto quando te leio, quando percebo tua emoção.
O tocável, são as batidas aceleradas que latejam em meu coração.


O tocar, é desejar teu desejo,
 É imaginar muitos beijos, é sentir tuas fantasias.


O tocável, é sentir minha pele quente, 
Que se aquece com o amor da gente 
E acariciar minha pele macia.


O tocar, é na nossa ilusão, 
Eu poder ser tua como tu podes ser meu


O tocável, é te ter em meu corpo,
Me entregar por inteira...
E sentir que esse momento valeu.

Gil Façanha

segunda-feira, 27 de setembro de 2010



"O tempo faz tudo valer a pena

E nem o erro é desperdício.

Tudo cresce e o início

Deixa de ser início,

E vai chegando ao meio,

Aí começo a pensar que nada tem fim,

Que nada tem fim"

Trecho da música O Avesso dos Ponteiros
(Ana Carolina)

Preciso contar que fui invadida por um Blues



Ritmo sensual e intenso, aliado a simplicidade de suas belas letras, essa forma musical tem mesmo algo de mágico. Fui possuída por um blues.
Sozinha em uma cafeteria a meia luz, meus ouvidos e meus poros, foram invadidos por ninguém menos que BB King, ao som da penetrante melodia de “Troubles Don’t Last”. Foi o bastante!
Fechei meus olhos, e agora o lugar era só meu. Meu mundo, minha fantasia. Sedução instrumental que penetrava minha alma e fazia-me mais ofegante ao  imaginar cada movimento possível... Sobre as mesas... Cadeiras... Tudo ali era o palco perfeito pra uma dança sensual e particular, onde peças de roupas voam pelo ar. Sentia-me absolutamente fêmea, e minha platéia estava em minha mente. Naquele instante só meu, eu era apenas uma mulher tomada pelo calor do blues. Que ritmo é esse?!!!
Era um momento de pura sedução em minha imaginação.
Eu dançava de forma vigorosa, como quem sente na pele cada frase que  ouvia. Todas as notas musicais pareciam ser tocadas em mim. Quando a música acabou... Abri os olhos, sorri, paguei a conta e fui embora. Sonhos indecentes totalmente realizáveis nos levam pra casa mais cedo..rsrs...

Gil Façanha.




B.B.KING-Troubles Don't Last










domingo, 26 de setembro de 2010

Desejo



Revelo-te minha essência sem prudência
Entrego-me sem decência.

Abro-te meu diário, meu segredo em relicário,
Confesso-me incendiária sem momentos temerários.

Suplico-te tomar-me com gosto, da timidez quero o oposto,
Quero o desejo estampado em teu rosto.

Beba-me como quem está no deserto
Contorcendo-me deixo-te certo...
De que o prazer já está perto.

Vou gemer sem nenhum receio,
Pedir mais sem nenhum rodeio...
E se cansar, fique calmo...
Deixo-te repousar em meu seio.

De volta a rotina


Olá amigos!! Estou de volta e já com muitos textos pra digitar e publicar!!
Nossa! Essa coisa de blog vicia. Senti saudades de estar sempre aqui, postando, lendo os amigos,
comentando, sendo comentada. É uma rotina que já faz parte da minha vida. 
Bom, agradeço o carinho de todos que passaram por aqui e deixaram um recadinho,
assinaram meu livro, aos que me enviaram e-mail de saudades...
Um beijo grande e
Desejo uma ótima semana para vocês.

Gil Façanha.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Uma breve ausência.


Meus queridos amigos, seguidores e leitores casuais...
Motivada pela busca do conhecimento,
hoje estarei me ausentando por uma breve semana pra
participar de um congresso em outro estado.
Voltarei em breve com novidades... Assim espero.
Aproveitarei para buscar novas inspirações.
Fiquem a vontade pra curtir esse cantinho que tenho
tido tanto prazer em dividi-lo com vocês. 

Ficaria muito feliz, caso queiram, é claro,
em ter sua visita registrada no meu livro de visitas
que se encontra na barra lateral.
Adoraria saber quem passou por aqui.
Bjs e fortes abraços.
Até breve.




Vou por aí, esbarrando na vida,
captando o que houver de melhor,
buscando potencial pra compartilhar.

(Gil Façanha)

Mainardi da due pensieri diversi (Dueto)



O olhar o mar sem você
- É estar sozinha, mesmo que acompanhada

É apenas olhar e não ver
- É ser tocada sem prazer

É viver menos que o viver
- É o pensamento repleto de tanto querer

O olhar a vida sem você
- É ver os dias passando sem perceber

É Viver sem sorrir pleno
- É me sentir perdida no meu mundo pequeno

É perder o contato sereno
- É ter na tua saudade, o meu pior veneno


Olhar o mar e a vida sem você
- É estar cego... É não viver

É ter certeza de um sentimento
Que bate ao coração o peito...
- É saber que sem tua presença....
Essa dor não tem mais jeito.


Parla con me ora... Cuore
Poi parlare con me ora... Amore
Più... Grande cuore mio... 


Mi rivolgo a voi, nel silenzio della distanza
Ti bacio con le labbra di nostalgia
Ti amo vedere solo in te...
L'unica ragione per la mia felicità.

Come il sole
Di più ... il mio grande cuore ... il suo ... tutti i suoi


Otávio JM & Gil Façanha

Afinidade


Na última noite eu te encontrei. Presença suave, sorriso tranquilo.
Não entendi o que você fazia alí. Parecia tão real! Um toque de uma saudade pura
Como quem entende a razão do adeus.
Havia um olhar triste, mas eu não pensava ser por mim.
 Hoje, nem em sonho me arrisco a pensar.

Acordei derrepente e com um certo peso no peito, novamente adormeci.
Raro acontecimento me envolveu. Quando entrei no mundo dos sonhos,
novamente você me apareceu!

Fiz ar de surpresa! Isso não é comum acontecer.
Era outra paisagem, e ainda assim lá estava você.

Questionei-me se me seguias, perguntei o que querias dizer.
Pra minha surpresa, a tua resposta foi
"Estou aqui, por que não quero te esquecer".

Era olho no olho, um toque carinhoso em minhas mãos.
Me falavas de afinidade, e eu sentia teu coração.

Não havia desejo, ou qualquer outra insanidade
Tudo o que eu pude ver, foi a razão de ainda existir saudade

Gil Façanha




Nas dunas de Genipabú // Em minhas dunas (Dueto)





Seduziu-me...  Você pediu
Deixou-me tocar tuas dunas ... Sentiu o calor que me rodeia
Escorregar por elas ... Ousadia que me incendeia 
Entrar em tua praia ... Águas quentes em volta da areia
Mergulhar no teu mar ... Me transformei em tua sereia
E nas tuas ondas surfar ... Te atraindo a minha teia
Levou-me pra tua areia molhada  ... Fizestes me sentir desejada
E deixou que teu luar orvalhado ... Sabor de um corpo suado
Clareasse meu corpo a beira mar ... Sentindo os teus braços me apertar
Incendiou-me com teus olhares ... Levando-te comigo pra perdição 
Livrou meu espírito ... Almas fugindo da solidão
Desnudou minha alma, corpo ... Um encontro apaixonado a luz do dia
Me fez teu sol ... E a noite a luz da lua foi nossa guia.
Destroçando meus sentidos ... Unindo teus destroços ao meu 
Me lembrando como é bom ... Buscar a força de um amor que se perdeu
Conjugar em tuas dunas o verbo amar! ... Deixemos agora o vento nos levar.



El Brujo // Gil Façanha

domingo, 19 de setembro de 2010

Minhas entrelinhas


Nas linhas do meu corpo, está escrito uma alma intensa
Cada rima que exponho é pra estimular o que meu leitor pensa.
Quem hoje lê meus versos pensa saber de quem se trata.
Mas confesso que a poesia revela apenas minha parte abstracta.

Entrego-me pelas letras, em rimas claras e às vezes confusas
Quem pensa que sou tudo o que escrevo, não percebe minha imagem difusa.

Revelo o que convêm, escrevo paixões ocultas
Inspiro-me em imagens de santa...
Excitam-me as imagens de puta.

Mas não se enganem com as loucuras que a escrita me traz,
Muitas imagens que proporciono a realidade as desfaz.

Das ilusões que alimento e transformo em fantasias
Nem todas serão minhas.
Se queres conhecer a mulher por trás da poetisa
Leia bem minhas entrelinhas.


Gil Façanha

Search box

Related Posts with Thumbnails

Arquivo