Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

domingo, 28 de março de 2010

O último anjo - Isabella Taviana




E se eu quiser gritar
Você ensurdecer
O sol cair no mar
e de frio morrer em pleno verão
Tá tão estranho aqui
Pareço desfocar o que você sorri
Por pura intuição
Se a água não correr
A lua despencar
O horizonte inteiro verticalizar
Inverter a rotação
Me traga a sua mão
Varinha de condão
Reze uma oração
Pai, filho e espírito são
Somos o meio entre o principio e fim
Fomos o freio entre o bom e o ruim
Me dê o chão pra pisar
Um coração para amar
Me trate bem
Sou um anjo caído do além
Me trate bem
Todo anjo tem medo também
Ainda que eu falasse a língua dos homens,
que eu falasse a língua dos anjos
Sem amor, eu nada seria

Bicho preso


Há uma parte de mim que eu mantenho presa, acorrentada feito bicho feroz, indomável, que optei por manter isolado, longe do alcance de qualquer pobre inocente  que pense que pode impunemente se aproximar e acariciar. Aos olhos de um coração desavisado, pode parecer bicho domado, tranqüilo, amigável... Porém, esconde um lado loucamente desejável. Não se engane, não chegue perto, não o acorde, não desperte seu instinto animal, não o faça lembrar o que é ser carnal. Não ignore os avisos de “cuidado”... Não me responsabilizo pelos estragos causados.

Gil Façanha

sábado, 27 de março de 2010

Um sonho ruim


Odeio os pesadelos. Eles me assustam, me impressionam e me arrancam o sono. Já tive que lidar com eles durante um longo tempo na minha adolescência, mas aprendi a lidar com o que eles me causam. Mas as vezes, sou pega de surpresa, porque ter pesadelos comigo mesma é uma coisa, mas com as pessoas que são importantes pra mim... De certa forma me aterrorizam. 
Deus, olhe por todos os que amo, direciona-os nos caminhos dessa louca estrada chamada vida, guia os passos de todos rumo a cada destino e que sob tua luz... Estejam sempre protegidos. Amém.

Gil Façanha.

domingo, 21 de março de 2010

Sol e lua


Se você é o meu sol e eu sou tua lua...
... Então, quanto templo levará para o próximo eclipse?

Gil Façanha

Foi você?


Foi você que passou aqui e sem que eu percebesse, me tocou como uma leve brisa e fez meu corpo arrepiar? 
Foi você que soprou suave, percorrendo a minha pele feito pena ao vento, apenas pra me fazer lembrar do quanto você pode ser doce e ao mesmo tempo explosão?
Foi você que diante dos meus olhos fechados, me beijou a testa, sorriu como quem dizia olá, apenas pra me mostrar que ainda está aqui?
Foi você que antes de raiar o sol, antes mesmo do despertador acordar, esteve mais uma vez em meus sonhos e partiu sem me beijar?
Ah... Sim... Foi você.

Gil Façanha

No deserto das minhas emoções


Está deserto aqui... Sinto sede!! Procuro um oásis que possa saciar minhas necessidades que vão da boca aos dedos dos pés. Minha pele castigada está no limite da esperança em encontrar a paisagem que meu coração busca. 
As tempestades de areia me fazem serrar os olhos e não consigo, em alguns momentos, enxergar o caminho. Não há saída!! Pra todos os lugares que eu olho ou tento me direcionar, só há areia... Puro deserto.
Em alguns momentos a brisa quente me causa a louca e falsa sensação que o oceano está perto. Nesse momento, poderia mergulhar em água salgada e saciar minha sede, esquecendo que essa água poderia  me matar, corroer meus órgão, e essa seria a minha última e definitiva miragem.
Tenho fome, sede, estou cansada mas continuo a caminhar. Estou vivendo da crença de que ainda há resistência suficiente para aguentar até o socorro chegar. Só não consigo me desligar da realidade de que está deserto aqui.
  
Gil Façanha

quinta-feira, 18 de março de 2010

Dois lados de um só


Há um lado sombrio em cada um de nós. Um lado que foge às regras, um lado que deseja se perder, um lado que te cega.
Não dá pra ser claridade, luz, o tempo todo! Há momentos que um lado obscuro e egoísta faz você se perder em pensamentos, em desejar o indesejável, em trilhar um caminho menos reto. 
A luz, é o caminho certo, mas o mais difícil desse trajeto, é descobrir que aquele lado "obscuro"... Tem fortes argumentos. Nada fácil.

Gil Façanha

segunda-feira, 15 de março de 2010

Navegue em minhas águas




Navegue em minhas águas e eu te levarei onde ninguém jamais te levou

Não tema as correntezas, os momentos em que meu oceano estiver revolto... Pois minhas correntezas só te levarão ao mais profundo da minha alma e essa turbulência molhada apenas levará o teu corpo a sentir imensamente o meu!
Não tema o horizonte, não use mapas, não procure estrelas nas noites em que se achar perdido... Pois te guiarei rumo ao mais inesquecível prazer, e tua bússola... Serão os meus gemidos.

Gil Façanha

Quero ser...


Quero ser o tom que destoa em tua paisagem e que por isso te atrai tanto
Quero ser a liberdade de tua prisão emocional e ter contigo os mais inesquecíveis momentos...
Quero ser a beleza natural posta nas cores pintadas que revelam tua alma as vezes escura, as vezes arco-íris.
Quero ser o impulso dos teus vôos, o vento em tuas asas, as razões dos teus sonhos que te levam onde estou.
Quero ser borboleta livre e leve  enquanto o sol brilha, e a noite, desejo  pousar em teus braços após o mais conectivo amor e adormecer nas pétalas do teu coração... Antes que minha curta vida seja arrancada daqui e minhas asas nunca mais possam me levar até a beleza das tuas emoções.
Gil Façanha
Foto: Luiz Montenegro

domingo, 14 de março de 2010

Cidade dos anjos - Simplesmente lindo!



CIDADE DOS ANJOS


Eu desistiria da eternidade 
para tocar você

Pois sei que de alguma forma
Você me percebe
Você é o mais perto do céu
Que eu posso chegar e não quero voltar
Para casa agora...
O único gosto que sinto
É o deste momento
E tudo que tenho para respirar
É seu amor.
Por que cedo ou tarde
Isto pode acabar
Hoje a noite
Não te deixarei ir...
Eu preferiria...
Sentir o cheiro de seus cabelos,
Dar um beijo em sua boca...
Tocar uma vez em sua mão...
A passar a eternidade sem isso



Não era esse o plano


Não era bem esse o plano... Não estava incluso as grandes emoções, a vontade de ficar, o medo de partir... Não fazia parte ter medo de admitir que continuar a caminhar seria difícil... Mesmo nunca tendo sido fácil.
Não era bem esse o plano... Buscar viver de razões quando você mesmo se chama “pura emoção”... Mas quem disse que os projetos criados sempre serão como gostaríamos que fosse?
Não era bem esse o plano... O prazer rimar com dor, a paixão rimar com solidão... O amor definitivamente, não rima com Adeus. Mas quem disse que quando se brinca de poeta é fácil encontrar rimas perfeitas?
Não era bem o plano... Deixar o coração sangrar, o corpo viciar, a química colar e tantas vezes chorar!
Definitivamente, não fazia parte dos planos precisar me redimir, ir embora daqui e perder o prazer em sorrir!
Não fazia parte do plano chegar a conclusão, que a rima mais perfeita... Sou eu no seu coração.

Gil Façanha

sábado, 13 de março de 2010


Entre emoções e razões, tentamos sobreviver aos nossos próprios terremotos.
Entre erros e verdades, buscamos resistir a força dos maremotos que se apresentam na forma de  lembranças e saudades que transformam o terreno intocável dos nossos corações.

Gil Façanha

 "Procurando novas drogas de aluguel
Neste vídeo coagido...
É pela paz que eu não quero seguir admitindo"

Trecho da música "Minha Alma" - Rappa

sexta-feira, 12 de março de 2010

domingo, 7 de março de 2010

Verdadeira esperança


Trecho do Salmo 118

Lembrai-vos senhor, da palavra empenhada ao vosso servo, na qual me fizeste encontrar esperança.
O único consolo em minha aflição é que vossa palavra me dá vida.

Equilíbrio


Estou resistindo à força dessa tempestade que ameaça me empurrar penhasco abaixo. Essa tempestade interna que causa uma mutação na paisagem dos meus sentimentos, dos meus sentidos. Busco um equilíbrio quase impossível para um coração frágil... Porém, de alma forte. As vezes desejo me jogar pra ver o fundo, pra ver o que há no fim... Afinal, em algum momento a queda acaba e só nos resta escalar montanha acima, para aí então descobrir o recomeço, reencontrar o caminho e dar tempo para que esse vento forte sopre em outra direção. Mas guiada pelo que acredito ser a "sensatez" sempre escolho por resistir mais... E mais... Porque não sou adepta à quedas. Meu equilíbrio é o meu norte, e dependo dele pra alcançar o que vivo a buscar.

Gil Façanha.

sábado, 6 de março de 2010

A luz do destino


Aprendendo a andar usando os mil faróis dos meus olhos, é tão difícil não saber que lado iluminar! Ao piscar dos olhos, um segundo de escuridão me dá a sensação de que devo parar... Antes de ser surpreendida por uma cratera emocional nessa estrada desconhecida e as vezes sombria que se chama “destino”.
Vou iluminar... Iluminar meu caminho com um pouco mais de sonhos e uma dose extra de realizações...
Vou iluminar... Iluminar meus medos para que eles se tornem as razões das minhas lutas, da minha batalha interior em busca da tão necessária superação.
Vou iluminar... Iluminar meu corpo para que ele não me comande e que minhas emoções se tornem, por minhas razões... Iluminadas.


Gil Façanha

quinta-feira, 4 de março de 2010

desagradável expectativa


Por que esperam tanto de mim se até o exato momento de tudo acontecer, nem eu mesma sei até que ponto estou preparada? Não gerem expectativas... Existe uma grande chance de ser só ilusão!

Search box

Related Posts with Thumbnails