Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

domingo, 5 de junho de 2011

Covardia



Dispersa nessa névoa de inverno
Eu busco o mar no frio relento
Meu corpo estremece... Calafrios
Resultado de amargos pensamentos


Da brisa gélida que vem das águas
Não sinto arrepio sequer 
Das dores que jazem em minh'alma
Amargo cicatrizes de mulher


Por zombares do que sinto, me matastes
Um tiro certeiro no peito
Enterrando a felicidade derradeira


Afogo-me nas ondas a escorrer em minha face
Relembrando teu golpe covarde
A tua cruel mira certeira. 


Gil Façanha

4 comentários:

MARILENE disse...

O amor que machuca é um golpe certeiro, realmente. Mesmo no mar gelado, queima, pois o frio está no coração.
Mais um lindo poema!

Bjs.

Poeta Insano disse...

Uma forma poética de tocar
nas feridas amorosas, fazendo-as
arder da melhor forma possível,
na lembrança.


*Desculpe não ter respondido antes
sua pergunta.
Uso apenas o e-mail para comunicação externa...
Qualquer coisa, sabe onde me encontrar.

Um abraço!

Abraão Vitoriano disse...

teu poetar é lírico
traz fulgor
poesia de livro encantado

como aqui é bom!

e voltarei...

beijos,
do menino-homem

Evanir disse...

Conhecendo seu blog hoje e já seguindo você.
Linda sua postagem é incrivel como falamos tanto de amor nessa vida.
Um beijo carinhoso,Evanir.

Search box

Related Posts with Thumbnails