O amor e a paixão (diálogo)


Amor: Quem és tu, que se atreve a me desafiar, sem saber onde vou parar se insistires em me derrotar?

Paixão: Eu sou o princípio do teu começo, ou o fim do que podes ser. Depende de tuas raízes, ou do que fazem de você.

Amor: Como ousas vir com todo esse calor, deturpando o significado do amor, levando ao coração a dor?

Paixão: Não cheguei com essa intenção. Sofrer, não está em minhas mãos. Vim apenas oferecer o sabor que tem a paixão.

Amor: Vá ao encontro de quem está só, do meu coração tenha dó... Ou esse amor pode virar pó.

Paixão: Vim apenas pra te aquecer, esse coração nunca vai esquecer os prazeres que lhe pude conceder.

Amor: Se vieres pra ficar, desse cantinho eu partirei. O amor só governa uma alma, onde antes a paixão já foi rei.

Paixão: Não quero um embate, ou luta sentimental. Se por acaso você for o tal... Não se preocupe... Minha visita será banal.

Amor: Uma grande paixão, nunca parte sem deixar marcas. O amor, por ti também já foi ferido. Quando carentes estão os corações, é em teus braços que eles encontram abrigo.

Paixão: Então chegamos a uma conclusão! Se fores amor de corpo e alma, nenhuma paixão alcançará teu coração.

Amor: Mas se fores paixão de pele e fogo, daquelas que os amantes não conseguem esquecer... Ainda que eu seja o amor... Eles sempre lembrarão de você.

Paixão:  Então... Por amor partirei

Amor: E a força da paixão... Nunca esquecerei.

Gil Façanha

Comentários

Leila Moura disse…
Lindo! Parecem as vozes que temos dentro da nossa cabeça quando encontramos aquelas encruzilhadas estranhas. De certa forma, está aqui um complemento daquele infinito que não se conhece ;)
Bjs
Gil Façanha disse…
Nem me fala!! rsrs...

Postagens mais visitadas