Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Devolva


Escrito a pedidos (exclusivamente para Mônica Jucá) 

Devolva.... Devolva as minhas esperanças
Não as quero mais em você.
Devolva todos os sonhos, os que acreditei que poderiam acontecer

Vou resgatar meu coração, retirá-lo de tuas mãos
E superar as dores que deixaram cicatrizes
Hoje recupero as emoções doadas...
Buscaremos outras formas de sermos felizes

Não espero que me entenda, ou que retome o caminho que ficou para trás
Não desejo que me ame, não desejo que me queiras... Não desejo nunca mais

Sinto que todo o tempo foi perdido, momentos presos a um talvez
Devolva-me as certezas da tristeza, as únicas que você não desfez.

Devolva minha esperança, o prazer em continuar
Hoje quero minha vida de volta...
E assim... Poder recomeçar.

Doei todas as minhas palavras
Você foi minha maior inspiração
Esqueci que meu amor próprio existia... Coloquei-me em tuas mãos

Meu peito partiu-se em pedaços no dia em que me disse adeus...
Agora resgato minha alma cinza
Devolva-me o que era teu.

Não te quero mais em mim... Só em ilusões eu fui feliz
Mas agora, por favor, devolva... Devolva o que você não quis.



Gil Façanha

4 comentários:

Rafael Castellar das Neves disse...

Difícil...ser feliz é consigo mesmo...pelo menos é o que tem me parecido...

[]ss

Milena Medeiros disse...

Vim ler algo de ti. Não consegui enviar o email- retornou como failure.
bjuusssd
mi

Um Cantinho para Sonhar disse...

Minha nossa...Gil do Céu!!!
Que suplica comovente...que inspiração fascinante!Tocar a alma e o coração de uma só vez.
Amiga vc me deixou estática, diante do seu poetar!!!

Simplesmente belo!

Quando eu crescer, quero ser igual a vc...rsrsrs

Beijinhos cheios de saudades!

Com carinho, Suzy.

Sabino disse...

Que sutileza e força expressas nesse texto. Simplesmente lindo!
Enxerguei-me a cada verso lido e confesso que quase chorei. Parabéns...
Esse é o sentido da poesia...
Encantar
Emocionar
Alegrar
Surpreender...
Abraços poéticos. Helder Sabino

Search box

Related Posts with Thumbnails