Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Viajante das letras.




(Aos amigos poetas)


Poeta...
Decifrador de esfinges, conquistador de almas,
Artista das letras, criador de emoções.
Em seus versos há angústia, ou a mais profunda calma,
Transpassando em rimas os leitores corações.

Da vida sabe de tudo um pouco, mesmo sem nada dizer,
Vaga pelo mundo aprendendo qualquer lição.
Pra compor seus sentimentos, ele se põe a viver,
Ainda que seus passos sejam pura imaginação.

Ser errante, visita planetas, viaja por todos os mares,
Na embarcação das letras, com ventos de poesia.
Suas velas, rimas soltas o leva pra tantos lugares,
E se deixa inspirar por essa poética ventania.

Seu navegar não tem limites, vai do ocidente ao oriente,
Enfrentando tempestades com olhar de visionário.
E plantando sentimento como quem planta uma semente,
Vai fazendo do ser poeta, o seu próprio relicário.



Gil Façanha



3 comentários:

M.Flores disse...

Has descrito muy bien la vida del poeta, un poco trotamundos, un poco melancólico, un poco visionario.

Besos Gil.

Sandra Botelho disse...

Oi amigo, to de volta...hehehehe! Consegui encontrar nesses bares da vida, sentada num cantinho, palida e triste, a minha inspiração.
Tomava um martine, e fumava um cigarro, nos olhos uma tristeza indolente lhe deixava a face vazia. Um barzinho mais ou menos, onde o cantor alcoolizado de olhos vermelhos cantava, Não se váaaaaa!. Quando ela me viu, do canto dos seus labios vi surgir um quase sorriso sabe? Daqueles que querem ,mais não querem sorrir?...Tirei ela dali, pelas mãos, a levei pra ver o mar, pra voar, pra sentir o gosto doce de um beijo e o sabor ardente dos desejos.
Aquela mulher que antes parecia farrapos voltou a se iluminar, jogou o copo fora, apagou o cigarro e voltou pra mim. Estamos nós duas lá no Meu Aconchego.
Te espero, por lá tá?
Bjos achocolatados

Nadir disse...

Como dizia Fernando Pessoa:
O poeta é o maior fingidor!

Ao meu ver
Este é o maior bem que ele, poeta possui, a riqueza imaginária.
Parabéns pelo poema, e pelo teu espaço literário, Gil!
Em tempo agradeço su amável visita ao meu.
abraços
Nadir

Search box

Related Posts with Thumbnails