Deixa-me ser




Como alcançar teu coração bandido,
Partido pra tão longe de mim?
Como te arrancar esse lamento,
Que te corrói por dentro e te leva daqui?

Deixa eu te falar de amor,
Preencher as rimas que faltam em teus versos,
E te mostrar o avesso da tua mais recente emoção.

Abra teu peito e me aceite,
E para meu intenso deleite,
Serei do teu sorriso a razão.

Permita-me ser o teu diário,
O teu segredo em relicário,
Dê-me a chave da tua confiança.

Olhe-me nos olhos
E sinta a verdade do que digo,
Dê-me ao menos um pouco de esperança.

Aceite o que eu te ofereço,
Sinta meu apreço
Meu desejo tem a medida exata da tua dor.

Dá-me um lugar ai dentro,
Um pequeno espaço no teu pensamento,
Mas não me faça implorar,
Por favor.

Gil Façanha

Comentários

Apenas uma sonhadora disse…
Gil...Sou literalmente apaixonada por tudo que você escreve,a primeira vez que vi seu trabalho foi no recanto das letras e te pedi permissão pra postar um dos seus poemas no meu orkut,você me respondeu dizendo que seria uma honra e me passou o link do seu blog.Eu ainda não conhecia blog e fiquei maravilhada com esse mundo.Fiz um pra ser sua seguidora.Mas quando vi você seguindo o meu,pirei aqui,foi como se tivesse ganho na loteria,sai pulando e gritando feito uma louca de alegria.Obrigada!Não escrevo nada,não crio nada apenas divulgo,aquilo que por alguma razão mexe com minha alma e me faz sonhar.Como tudo o que você escreve,mexe comigo,nunca vi tanta alma,tanto sentimento.Deixa eu parar de falar e ir curtir mais um pouquinho seus poemas.Bjo.
Sua fã.
Amanda disse…
Lindo Gil,adorei!
Beijos e uma ótima semana
M.Flores disse…
Me tomé un descanso, pero feliz reencuentro, de nuevo, con tu blog.

Muchas emociones juntas en tus versos.Y muy bello idioma, el tuyo, para el lenguaje del amor y de la pasión. Hermosos versos. Besos.

Postagens mais visitadas