Sejam bem vindos pra dentro de mim. Aqui, estou expondo emoções, revelando minha alma, compartilhando com carinho... Publicando sentimentos. (Gil Façanha)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Na solidão do saber quem sou






Na solidão do saber quem sou, recubro meus sentimentos por uma névoa de falsas alegrias que escondem, mesmo quase revelando quem mora em mim.
Sensações inebriadas pela saudade do se expor, com ardor, sem medo, sem dor.
Solitária visão que trago do meu ser dual. Dualidade emocional. E nessa divisão literária de minh’alma, me descrevo em sentidos ocultos, revelações de um coração em exaustão.
A cada amanhecer tenho uma nova chance de ser eu... Mas, há dias em que o sol não vem, a chuva cai, nuvens negras anoitecem minhas certezas, e, no meu mundo irracional repleto de razões minhas, me escondo no meu porão sentimental, e, lá, como por castigo,  mais uma vez, enfrento a solidão do saber quem sou.

Gil Façanha

3 comentários:

Karinna* disse...

Touch*

urge soltar essa imensidão que me habita
essa extensão cósmica que me devora
não quero desvendar esse rito sozinha
preciso do toque da tua alma na minha
principio tocando de leve o espectro
o balé das minhas dualidades
a densidade da tecla de um escrito
as letras não ecoam todo dia a saudade
tantas vezes danço nas linhas, instável.

garatujas coloridas me rodeiam
corpos celestes de um sentimento espreito,
o nada me abre os poros do segredo
e, além do verde azulado, nada vejo
a proximidade esgueira-se na calmaria
e, mesmo sem sol, há um centro que brilha
o avante está lá e nos habita
como um sonho velado em meio dores da escrita.

feminino movimento sem rascunho
eixo, medula de um verso afoito.

Karinna*

*Impressões e sentimentos d'alma nos unem, talvez num universo cósmico, mas nem por isso irreal. Eu sinto-te.E tua Palavra me toca. Uma alegria sentir o toque da tua alma na minha. Carinho e admiração plenos. K*

Um Cantinho para Sonhar disse...

Perfeito, é exatamente tudo o que estou sentindo, é como se seu poema descrevesse o que meu coração quer tanto falar.

Amei, amiga!
Beijos no ♥!

Jorge Sader Filho disse...

O encontro consigo mesmo tem um caminho longo, Gil.
Ora ele se apresenta tranquilo e suave, mas há momentos terríveis que temos a enfrentar. Não pode correr, não existe espaço.
E enfim, o grande abraço em si mesmo. Imagina que está tudo resolvido? Engano, vai assim até o final, ma você está pronto!

Beijos,
Jorge

Search box

Related Posts with Thumbnails