Encarando o fim


E vaguei na noite quente, porém fria pela falta do teu calor, e me debrucei sobre minha saudade, que sem lastimar me feriu a alma sem alarde, sangrando lenta e silenciosamente na ponta da tua ausência que me feria sem piedade.

E fui domada pelo capricho de todos os pensamentos que me feriam mais por dentro, e que ao rasgar as entranhas dos meus desejos, causaram-me uma dor súbita e a certeza de que não terei mais teus beijos.

E quando não mais suportei ver a negra cor que tua falta me traz, encontrei-me invadida pela decisão de não mais te querer, pela força de aceitar te perder e despertei após violenta invasão da lucidez, que me fez perceber sem pena, que nosso amor se desfez ... E que tua incompreensão destruiu tudo de uma só vez.


 Gil Façanha

Comentários

Sandra Botelho disse…
toda incompreensão destrói o amor...beijos achocolatados
Flor da Vida disse…
Amada amiga, sua palavras são profundas e tocantes... Versos reais que trazem um desabafo transformado em belísso poema!
Ainda bem que a lucidez te invadiu, amenizando assim a dor que sempre nos causa uma decepção de amor...
Felicidades muitas pra ti linda menina!
Deixo carinhos meus pra você, viu?
Beijos
Monica Pamplona disse…
Quando não dá mais certo,é bem melhor encarar a realidade.Pois se ficar perdurando uma situação que não tem mais jeito.É provável chegar ao ponto de não mais se suportarem.
Bjsss querida
El Brujo - Rock disse…
Que reste a história mas sem tristeza ou melancolia!
Cláudio Avelino disse…
As ausências machucam a alma, destrói o amor, tornando-nos fontes de lágrimas.
Como podemos amar alguém cuja ausência é o único legado duradouro?
Não é sano, é doentio.
Desconfio que eu seja doente!
Abraços.
Raiana Reis disse…
A profundidade do seu momento toca o que também vivo agora... Lindo Gil. Beijos e boa páscoa!!

Postagens mais visitadas